Receba oportunidades por e-mail
Voltar

O emborcamento é o tipo de acidente mais comum




Lancha emborcada
Radar
08/05/2009

 

Estatísticas da Comissão de Investigação e Preveção de Acidentes de Navegação – Cipanave – da Diretoria e Portos e Costas da Marinha, o emborcamento (quando o barco vira) é a forma mais comum de acidente em águas brasileiras. Os tipos seguintes são: colisão, naufrágio, queda de pessoa na água, acidente com pessoa a bordo e abalroamento, além dos acidentes com jet skis (atropelamentos na maioria das vezes) próximos à orla, que sempre ocorrem nos finais de semana de praias superlotadas.

É importante lembrar que grande parte dos acidentes na água pode ser evitada se os usuários forem mais responsáveis, cuidando bem de sua embarcação, fazendo manutenção periódica e obedecendo as regras de segurança. Essas informações valem para os mais experientes, para os marinheiros de primeira viagem e também para os turistas que alugam barcos ou fazem passeios turísticos. Antes de embarcar é preciso verificar há registro na Capitania dos Portos, se há licença para transportar passageiros, se o piloto tem habilitação específica, se os equipamentos de segurança estão em ordem e se são suficientes para todos a bordo.

 

Em caso de emborcamento, é fundamental pedir socorro e só é possível desemborcar com a ajuda de uma outra embarcação maior. É preciso amarrar cordas no barco virado, usar toda a força humana possível, e caso haja, a ponte hidráulica também pode ajudar muito. Após desvirar, certamente, a embarcação deverá ser rebocada, pois muitas vezes o motor não volta a funcionar. (veja procedimento nas fotos abaixo)

 

Em 2003, a Acobar lançou a campanha “Navegue com segurança”, com o objetivo de conscientizar os usuários sobre segurança e como evitar problemas a bordo. Após quase seis anos, as estatísticas ainda são altas e segundo Lenilson Marcelo Bezerra, Diretor Executivo da ACOBAR, a melhor forma de evitá-los é através da informação.

 

Siga essas dicas do Bombarco com a assinatura da Acobar e evite acidentes:


- O condutor da embarcação de esporte e recreio deve, obrigatoriamente, ser habilitado pela Marinha, pelo menos, como Arrais Amador;

 

- Faça a manutenção correta da sua embarcação;

 

- Tenha a bordo todo o material de salvatagem prescrito pela Capitania;

 

- Respeite a lotação da embarcação e tenha a bordo coletes salva-vidas para todos os tripulantes;

 

- Mantenha os extintores de incêndio em bom estado e dentro do prazo de validade;

 

- Ao sair, informe seu plano de navegação ao seu Iate Clube, Marina ou Condomínio

 

- Antes de sair, verifique as condições do tempo e se o combustível é suficiente;

 

- Conduza sua embarcação com prudência e em velocidade compatível;

 

- Evite bebidas alcoólicas. Se beber, passe o timão a alguém habilitado;

 

- Mantenha distância das praias e dos banhistas. Respeite os limites estabelecidos;

 

- Respeite a vida, seja solidário, preste socorro;

 

- Não polua;

 

- Não entregue a condução da sua embarcação a pessoa não habilitada. Os acidentes são mais freqüentes com pessoas que não possuem habilitação ou sem experiência e, normalmente, envolvem embarcações alugadas;

 

- Preserve a sinalização náutica. Ela é importante para você e para os outros;

 

Para uma navegação segura verifiques sempre:

 

- Se os equipamentos de navegação estão funcionando;

 

- Se os equipamentos de radiocomunicação estão operando normalmente;

 

- Se as baterias estão carregadas;

 

- Se a sua embarcação está dotada dos equipamentos de salvatagem e

segurança compatíveis com a navegação que irá empreender;

 

- Se o material de combate a incêndio está em bom estado e dentro da validade;

 

- Se os artefatos pirotécnicos estão dentro da validade;

 

- Se a embarcação possui as publicações e cartas náuticas das regiões ondepretende navegar.

 

Siga todas as instruções e navegue com segurança!


Jornalista: Aline Eira MTB. 55.879-SP